Informações no Projeto Arquitetônico

   Em um projeto arquitetônico, nada está alí por acaso ou por ser bonito. Toda informação é de utilidade, hora para quem fará os projetos complementares, hora para os executores da obra.
  Uma obra executada apenas com o projeto arquitetônico pode trazer muitas dores de cabeça futuras para quem for usar o imóvel. Os projetos complementares são tão importantes quanto o projeto arquitetônico.
  Mas esta introdução que fiz, foi para chegar ao ponto chave desta postagem: quais informações são indispensáveis no projeto arquitetônico?
   Como citei, todas as informações do projeto arquitetônico são importantes para que projetos complementares e a execução da obra saiam a contento, do jeito que o cliente deseja. Porém, nem mesmo o cliente sabe que precisa de alguns elementos que devem ser informados no projeto arquitetônico. Por exemplo: ponto de água para mangueira de jardim, ralo na sacada, arandelas nas paredes, iluminação do jardim, ponto de energia para o portão eletrônico e interfone, etc.
   É de responsabilidade do projetista discriminar atenciosamente essas necessidades do cliente, para que ainda que não seja executado em um primeiro momento, precisa estar previstos.
   No projeto arquitetônico devem estar informados também: local da pia da cozinha, vaso sanitário, lavatório e chuveiro, bem como banheira. Tanque, máquina de lavar, e pontos de necessidades especiais como: máquina de secar roupa, condicionadores de ar, exaustor, telefone, central de alarme, etc. Eu particularmente dispenso outros blocos, como roupeiro, cama, sofás, mesinhas, escrivaninhas etc. Pontos de energia elétrica devem ser distribuídos em larga escala pelos ambientes, independente de onde quer que esteja disposta a mobília.
   Cliente gosta de ver “bloquinhos” por todo o projeto, isso é um fato. Mas é preciso observar que ás vezes projetos muito enfeitados podem esconder falta de qualidade no projeto em si.      Quando falo em qualidade de projeto refiro-me a capacidade que este deve ter de ser auto explicativo.
   Para resolver essa questão faça uma planta humanizada para satisfazer a necessidade do cliente de imaginar o resultado final. Para o arquitetônico apenas o básico, bem feito, bem cotado, com layers que diferenciem notoriamente os elementos do projeto.
 Clientes: não aceitem projetos sem as informações mínimas para o seu executor compreender o projeto e conseguir realizá-lo.
Informações mínimas para o projeto executivo (aquele que vai para a obra):
- Planta baixa – plantas cotadas, com informações de portas, janelas, e aparelhos de utilização (pia, vaso, etc.), cotas de nível e identificação dos ambientes;
- Cortes - no mínimo 2, com informações de pé direito, altura de portas e janelas, peitoril das janelas, cerâmica onde deve haver cerâmica, localização do reservatório (caixa d’água), escada se houver, desníveis etc;
- Elevações – 2 fachadas, normalmente uma frontal e uma lateral;
- Implantação – a “situação” mostra a localização exata da obra dentro do lote (terreno), com afastamentos (recuos) tamanho dos beirais, distribuição das águas do telhado, norte magnético, etc;
- Localização - a localização do lote na quadra, com indicação de ruas próximas;
- Tabela de esquadrias – é necessário indicar exatamente quais as aberturas, modelos, materiais, quantidades etc.
- Memorial descritivo e quadro estatístico - contendo dados da obra;
- Selo – contendo informações do cliente e do responsável técnico, não deixe jamais de contratar profissionais registrados no CREA. Abra o olho com projetistas estilo "faz tudo". Projeto Estrutural tem que ser feito por Engenheiro Civil, Projeto Elétrico por um Engenheiro Eletricista, etc.
   Ademais, um projeto aprovado na prefeitura é garantia de que atende as normas técnicas bem como a legislação vigente da sua cidade. Construa só após obter o Alvará de Construção.
   Obra pronta é só curtir...


1 comentários:

Gabriel Pierre disse...

gotei

Postar um comentário